FAQ sobre elevadores | Villarta Elevadores
Telefone

(12) 3627-7700

Clique aqui e encontre
uma unidade mais proxima

E-mail

contato@villarta.com.br

Perguntas Frequentes | FAQ

Sim, é permitido instalar um elevador novo em um imóvel já existente, desde que o elevador atenda às normas vigentes na data de sua homologação. Para verificar a melhor solução para um prédio já existente é necessário que o time de engenheiros da Villarta faça um estudo do local ou da planta, assim eles sinalizam o equipamento que se enquadra e atenda as normas vigentes.
Clique aqui e solicite um orçamento
Sim, a Villarta fabrica os dois modelos, a aplicação se diferencia por características do prédio, para um elevador com casa de máquinas é necessário ter uma laje na caixa de corrida onde é fixada a máquina de tração e outros componentes. No equipamento sem casa de máquinas o conjunto de tração é instalado na própria estrutura de fixação do elevador. Ambas soluções necessitam seguir todas as normas vigentes para a liberação e instalação do equipamento. Clique aqui e veja como funciona um elevador com e um sem casa de máquinas. O elevador sem casa de máquinas necessita de uma caixa de corrida menor do que o com casa de máquinas? Se a comparação for realizada com elevadores com a mesma capacidade e a mesma quantidade de paradas a resposta é sim, pois com o conjunto de tração instalado no interior da caixa de corrida e com o sistema de arcada do modelo Optimus os elevadores Villarta sem casa de máquinas necessitam de um espaço reduzido para a instalação.
Clique aqui e solicite um orçamento

O tamanho da caixa de corrida diferencia com o modelo à ser instalado, dimensões e capacidade da cabina e quantidade de paradas. A Villarta fabrica elevadores conforme a sua caixa de corrida, o time de engenheiros fazem o estudo do local e informam qual equipamento se enquadra para determinado tamanho de caixa.
Clique aqui e veja nosso catálogo com dimensões pré-determinadas.
Clique aqui e solicite um orçamento personalizado.
Com exceção de plataformas e monta-cargas, todos elevadores precisam de poço. O que existem são algumas concessões normativas para a diminuição da profundidade do poço, quando o elevador é do tipo unifamiliar (atende uma única família) e para novos elevadores de uso restrito às pessoas com mobilidade reduzida em edificações antigas, que não tinham a obrigatoriedade de elevador. Essas concessões não permitem a implantação de elevadores para uso público sem o poço adequado em nenhuma outra circunstância, e limitam a capacidade, velocidade e utilização do elevador.
Clique aqui e solicite um orçamento personalizado.
Sim, a Villarta tem know-how para fabricar equipamentos com medidas específicas para atender as necessidades dos clientes. Fabricação e instalação de equipamentos em espaços reduzidos para residências e comércios até elevadores industriais para transportes de até 10 toneladas ou elevadores para transportes de veículos.
Clique aqui e veja nosso portifólio.
Sim, para financiamento BNDES, após alimentarmos o portal com os dados do cliente, a aprovação é confirmada imediatamente, contudo, os procedimentos para a consecução da venda somente iniciarão depois do pagamento do preço pelo BNDES, o que ocorre após 30 dias da aprovação do crédito. Para linha de financiamento do Finame, o processo de compra e venda é realizada por meio do Agente Financeiro.
Para mais informações, clique aqui que entraremos em contato.
Sim, atendemos todo o território nacional. Hoje contamos com mais de 20 unidades próprias em localizações estratégicas e representantes homologados por todo o Brasil.
Clique aqui e veja a Unidade Villarta mais próxima de você.
A Villarta realiza modernização estética e/ou tecnológica em qualquer equipamento de qualquer marca. Nosso técnico vai até o local para realizar uma vistoria, verificar as avarias e qual a real necessidade da modernização. A modernização além de melhorar o conforto nas viagens, diminui os chamados para manutenção e economizam em média 40% no consumo de energia dos elevadores.
Clique aqui e veja mais sobre modernização.
Clique aqui e solicite uma visita de avaliação.
Sim é necessário ter uma empresa que realiza a manutenção preventiva periódica em equipamentos de elevação, essa empresa deve ser homologada com o órgão fiscalizador da região, como o CONTRU em São Paulo e o GEM no Rio de Janeiro. A manutenção preventiva é necessária para prevenir qualquer incidente com o elevador. Na manutenção é realizado um checklist do funcionamento dos itens de segurança do equipamento, é verificado a vida útil de cabos, correntes, instalações elétricas e tudo que possa se desgastar com o uso. A manutenção garante a segurança de todos os passageiros que utilizam o equipamento.
Clique aqui e veja mais sobre manutenção.
Clique aqui e solicite uma visita ou orçamento.
As normas possuem os requisitos de segurança para a fabricação e instalação de elevadores são as Normas NBR NM 267, pertinente aos elevadores hidráulicos de passageiros, e a Norma NBR NM 207, pertinente aos elevadores elétricos de passageiros. Atualmente foi lançada a Norma NBR 16042 no qual possui os requisitos de segurança para a construção e instalação de elevadores sem casa de máquina. Para acessibilidade a Norma NBR NM 313, seguem os requisitos descritos anteriormente, incluindo pessoas com deficiência, em elevadores de passageiros.
Sim. O Decreto Federal Nº 5.296/04 estabelece normais gerais e critérios básicos para a promoção da acessibilidade. Já para as pessoas com deficiência em elevadores a Norma NBR NM 313 rege a esses requisitos.
Significa Anotações de Responsabilidade Técnica de um profissional por serviços como projetos, manutenções e montagens. Essas taxas são cobradas pelo Conselho Regional de Engenharia e Agronomia (CREA). Serve como garantia que seu equipamento está sob assistência técnica de uma profissional habilidade e qualificado.
A fiscalização é feita pelo CREA (Conselho Regional de Engenharia e Agronomia). Eles verificam as regularidades da ART, estado de conservação dos elevadores e os relatórios de atendimento. Algumas Prefeituras Municipais possuem um setor voltado para a fiscalização, como exemplo o CONTRU em São Paulo e o GEM no Rio de Janeiro.



Sua dúvida não está listada acima, clique aqui e envie sua dúvida que rotornaremos com uma resposta.

Todos os direitos reservados. Copyright © 2016 - Pentaxial